Por que a civilização requer egoísmo
Home Por que a civilização requer egoísmo
ou
Crueldade versus Interesse próprio

Eras supersocializadas criam pessoas que tem medo de discordar. Eu posso falar apenas pelos Estados Unidos por ter vivido aqui a minha vida toda, mas eu posso ver a doença se espalhando para a Europa através da mídia, dos produtos e comportamentos americanos; é uma invasão cultural, não física. De todas as invasões que ocorrem, essa é a mais nojenta, uma vez que é passiva, e a passividade onde quer que ocorra vai direto na auto-piedade, auto-moralidade e baixa auto-estima, uma vez que nada é pior do que não ser capaz de dizer "Isso é o que eu quero e eu tenho minhas razões, e suas objeções não importam pra mim". Essa é a língua daqueles que criam, enquanto "nós podemos fazer isso se ninguém se importar" é a língua dos submissos e reacionários. Dado que essa atitude passiva é predominante entre os "cultos" esses dias, uma vez indocrinados na cultura global formada pelo dinheiro e pela democracia liberal e valores cosmopolitas, não é de se surpreender que a maioria das pessoas tem medo de negar aos outros uma chance de ter o que eles têm.

Nos EUA, isso se manisfesta por uma atitude de que qualquer coisa que seja exclusiva é má, e qualquer um que cria uma comunidade e deseja excluir outros é mau, e que o bem supremo é fazer algo bom disponível pra todos para que então aqueles que sigam as regras possam "ir em frente" em qualquer ordem social e política imaginária que existir. Essas coisas são verdadeiramente significantes, você preencherá seu destino - que por si só é a realidade. Mas mundos de fantasia prevalecem, em parte por que nós todos estamos sobrevivendo por estar em negação do iminente colapso ocidental, que perdeu seu consenso cultural e ainda está sendo vagarosamente dividido, consumido e parasitado por dentro. O que permite essa destruição está em parte na atitude de que tudo deve ser aberto a todos.

Imagine uma fronteira aberta. Você e a sua família acham um lugar onde ninguém mora, e através de dias de trabalho exaustivo no campo, constróem uma cidade e desenvolvem todas as habilidades necessárias para uma civilização. Seus filhos e filhas casam-se bem, e desenvolvem talentos adicionais. Tudo está bem, mas agora você está rico e em breve está rodeado por suplicantes que querem ser "permitidos" na sua civilização, geralmente por causa de algum evento infeliz que aconteceu a eles. O que acontece se você os deixa entrar é a morte da seleção natural que fez a sua civilização possível.

Vocês passaram por privações, e indubitávelmente, alguns morreram. Alguns desses morreram por nenhuma razão, mas a maioria morreu por falta de julgamento, inteligencia, caráter ou força; os que restaram são, por definição, adaptados a viver na civilização que resultou. Essa é a única igualdade verdadeira de oportunidade que existe: eles eram capazes de começar algo para si mesmos e por duração, criar uma entidade funcional durável. Não é igualdade de oportunidade então deixar qualquer tolo vagabundo entrar no lugar, uma vez que eles não tiveram parte nenhuma com sua criação e ainda são mal-sucedidos. Não é de surpreender que as sociedades que aceitaram o público geral tem através da história se tornado inchadas e entraram em colapso. Se alguém olha pra isso de um ponto de vista de um mundo realista, e não como uma fantasia de implicações político-religiosas, é claro porque isso acontece, e como o mesmo mecanismo que seleciona o melhor pra criar uma civilização trabalha ao contrário para digeri-lo.

Na natureza, você vê essa ordem em todo o lugar. Formigas sucedem em parte por que elas rigorosamente defendem-se de outras formigas, e ainda asseguram que só as formigas mais competentes possam prevalecer em suas colonias. Gaivotas irão brigar por sua prole contra outros pássaros para que eles possam alimentar seus próprios filhos, e não há nada mais nobre ou gentil que uma gaivota. Por que humanos são diferentes? A resposta é simples: por que as pessoas que aparecem com essas idéias igualitárias são produtos de uma civilização de anos depois de sua fundação, e daqueles que a criaram. Para essas pessoas, qualquer vida fora de uma civilização pré-existente é impensável; a sociedade sempre existirá, por que não deixar outros entrarem? Afinal, nos sentimos bem em doar esse presente. Esse processo inevitavelmente destrói cada civilização infectada com ele.

Por essa razão, as melhores civilizações estiveram em lugares de uma natureza justa, ou talvez nós deveríamos dizer: selecionaram suas paixões rigorosamente, diferentemente de garantir emoção a todos os estrangeiros, bem como uma prostituta garante favores sexuais a qualquer homem com uma boa quantia de grana. É saudável e não há problema em ser orgulhoso de ser Indo-Europeu, e negar aos outros acesso a nossa civilização: afinal, auto-preservação é o nosso primeiro objetivo e deixá-los entrar irá nos destruir. Similarmente, é saudável que dentro daquela própria civilização seja negada a procriação e a riqueza daqueles que são menos capazes. Isso pode parecer cruel para eles, mas é o oposto da crueldade para nossa civilização em si mesma, e do qual vem benefício para todos. Esse é o caminho natural e não deveria ser substituído por olhos humanos, especialmente vendo como esses caminhos humanos foram ao colapso entre nós. Confie na natureza. Só então nós poderemos preencher nossos destinos e viver vidas significantes, independente do grau de prestígio social do mundo da fantasia e confortos que desfrutamos.

August 15, 2006 - Translated by Dora.


Copyright © 1988-2004 mock Him productions